O que você pode esperar de mim e do Técnicas de Composição?

Site Técnicas de Composição te ajudará a aprender sobre Teoria Musical


Essa é uma pergunta muito interessante, e até difícil de se responder brevemente.

Talvez eu tenha que contar um pouco da minha trajetória para que você possa entender um pouco de como eu posso te ajudar em seu caminho musical.



Desde que eu me entendo como gente (com capacidade de entender que estou vivo! rs), quando eu tinha uns 3 anos ou menos, eu já era muito ligado à música. Eu sentia que ela fazia parte de mim.

Só para vocês terem uma ideia, quando Elvis Presley morreu, eu tinha 5 anos, e me senti muito abalado e comovido, sem mesmo saber do quanto ele representava para a música, mais precisamente para o Rock. E esse sentimento, acredito eu, reforçou ainda mais meu compromisso com a música.

Porém, somente quando eu tinha uns 8 anos é que eu decidi dar um passo além, e decidi compor uma música.

Isso mesmo. Decidi compor uma música, sem ter noção de como se fazer isso, ainda mais sem ter pais músicos, e sem ter ido para uma escola de música ou algo parecido.

Então, como eu poderia criar uma música dessa maneira?

Por onde começaria?

É estranho quando me pergunto isso a essa altura da minha vida, após tantos e tantos anos.

Mas lembro-me daquele dia em especial, quando ia andando a pé com minha mãe pelas ruas da Tijuca, um bairro de classe média do Rio de Janeiro, em direção ao ponto de ônibus, em um dia ensolarado, onde íamos pegar um ônibus para a praia do Barra da Tijuca!

Naquele dia eu queria compor uma música, e não sabia por onde começar... Só sei que queria e pronto.

Estava com aquilo na minha cabeça, que eu resolvi, do nada, perguntar à minha mãe: "Mãe, como que se compõe uma música?".

Na minha memória atual, já estávamos subindo os degraus do ônibus quando eu perguntei. De fato, não sei ao certo.

Só sei que a resposta da minha mãe foi: "Sei lá. Você pensa e canta...".

E imediantamente, como um passe de mágica, veio uma letra acompanhada de uma melodia simples: "Het puma, het puma, ... het puma, het puma...".

Fiquei encantado como eu poderia ter criado aquilo do nada?

Ao longo de toda a viagem à praia, fiquei repetindo toda a canção para que eu não a esquecesse.

Cheguei na praia e continuei cantando, voltei da praia e continuei cantando. Até chegar em casa, cerca de 5 horas depois de ter criado a música, quando eu pude finalmente escrever em um pedaço de folha aquela pequena canção que acabara de criar.

Há uma parte da música que foi perdida durante a viagem, e outra parte também perdida no momento que cheguei em casa e comecei a transcrever o que me lembrava. Além de já ter modificado alguma coisa do original. Pouca coisa, mas alguma coisa creio que já não era tão igual ao início.

A letra é simples, e tudo que me lembro desde então (um dia acho essa folha na qual eu escrevi pela primeira vez a minha primeira música) é resumidamente assim :

"Het Puma, Het Puma. Het Puma, Het Puma. x2
Het, Het, Het-Het-Het, Puma, Puma, Puma-Puma-Puma
Het Puma, Het Puma. Het Puma, Het Puma x2".

E tudo começou com a frase que recebi: "Sei lá. Você pensa e canta...".

É um rockzinho bem simples, bem estilístico mesmo.

Sem a música (melodia) não dá para saber, eu sei... Quem sabe um dia não coloco aqui ela?!

O interessante notar que a letra é Het Puma. E só isso! rsrs

Temos que lembrar que eu tinha 8 anos e sem nenhuma experiência musical, além de ser apenas um ouvinte que prestava atenção nos detalhes da música e ficava comovido por ela.

E de onde veio essa ideia maluca de Het Puma?

É que naquela época o meu carro favorito era o carro Puma!!!

Queria tanto o carro que eu também havia criado um tipo novo de carro que batizei com o nome de Het Puma.

O Het é na verdade uma maneira que eu escrevia Hatch (tipo da traseira dos carros). Só que não sabia como se escrevia isso, e nem o que significa de fato carros do tipo hatch. Só que na época estavam sendo lançados os carros com esse nome que também resolvi aderir ao nome do meu novo carro!!! (coisas de criança, né! ;-P )

Após a primeira música que compus, Het Puma, estive frente a frente com um piano, e acabei criando minha primeira música instrumental.

Pouco tempo depois, em 1983, o Kiss vinha ao Rio tocar no Maracanã, e foi uma febre gostar do Kiss, e eu, lógico, me aderi a esse movimento. Eu tinha 10 anos.

E a partir do Kiss, eu comecei a compor mais e mais. E quis fazer da música um estilo de vida pra mim.


O que você precisa saber nesse momento é que minha primeira música surgiu quando eu tinha 8 anos de idade, sem nenhuma instrução musical, e de lá pra cá, nunca parei totalmente de compor! Só que eu tive fases, acompanhamento, dedicação, muito estudo, e também decepções....

Aos meus 14/15 anos, talvez eu já tivesse música suficiente para preencher 2 LPs (discos da época), o que totalizaria cerca de 25 músicas populares (rock e pop-rock). Pena que muitas delas se perderam.

Aliás, talvez eu tenha perdido praticamente todas, uma vez que já não consigo encontrar as letras completas delas, após tantas mudanças de moradia. Mas lembro de algumas letras, melodias, ou uma pequena parte.

E porque estou contando um pouco da minha vida?

Bem, você vai saber. Continue lendo.

Hoje em dia, em 2019, eu tenho mais de 300 músicas (completas e incompletas). E estudei muito Teoria Musical para conseguir produzir com o máximo de qualidade minhas músicas.

E como eu consegui isso? E por que?

Bem... Aos 13 anos de idade, eu me achava um garoto bastante diferenciado dos demais, acima da média, e me sentia satisfeito com isso, já que eu conseguia compor “facilmente”. Além de saber programar computador também!

Só para vocês terem uma ideia, um namorado da amiga de minha mãe tinha uma banda naquela época, e quando minha mãe mostrou algumas músicas pra ele, o cara da banda queria gravá-las. Pois é... só que eu era muito metido (e burro também! rs), e não quis, e nem aceitei a proposta, nem pela insistência dele.

Sabem por quê? ...porque eu queria eu mesmo gravar minhas próprias músicas, com minha própria banda. Isso mesmo! Concordo.... vai ser burro assim lá nos quint...... Deixa pra lá! hehehe

Pela minha inocência na época, achava que a vida sairia do jeito que eu queria, na hora que eu queria... e não é bem assim.

Há momentos que precisamos de outros, e de aproveitar oportunidades. E aquele momento era um deles.

Já pensou se eu tivesse aceitado? Eu teria naquela época uma música minha gravada...

Só que aconteceu algo que mudou a minha percepção sobre a música e sobre mim mesmo.

Dos 13 para os 14 anos, eu vi o filme Amadeus (onde conta uma história fictícia sobre Mozart. com algumas passagens verdadeiras). Ali, vendo o filme e o que Mozart criança já fizera, eu vi o quanto merda eu era! (com todo respeito a mim! ahhahaha)

Claro que hoje eu brinco com isso. Mas na verdade, eu vi o quanto ainda precisava aprender para me tornar um verdadeiro músico diferenciado. E como eu queria me tornar um compositor diferenciado.

Eu ainda posso dizer que as minhas músicas criadas na minha infância (dos 8 aos 15 anos) eram boas sim. Algumas se destacavam mais do que outras, dentro daquele contexto infantil que eu me encontrava. E acho que há bastante qualidade nelas, algumas bateriam facilmente as músicas de hoje em dia!

Mas nada se compara ao que eu queria alcançar!!!

E é essa a diferença, e é essa a conquista que eu quero para mim, e que quero também para vocês meus leitores que estão acompanhando até aqui.

Vocês pensam que foi fácil essa trajetória?

Não mesmo!

Ainda mais porque nunca fui um garoto que se contentava com uma única coisa. E também adorava ciências, tecnologias, e em especial: programação de computadores.

Então, tudo isso também tirava meu foco e competia com a música. (antes que me perguntem, eu aprendi a programar dos 10 para os 11 anos, e aos 12 eu já programava assembler, e aos 14 fiz um projeto de uma Mesa Digitalizadora, tudo isso no início da década de 80, onde não era fácil de se ter livros e adquirir conhecimentos aqui no Brasil).

Assim sendo, me formei em Engenharia, pela UFRJ, e cheguei a dar um tempo na música.

Bem, não tanto tempo assim, já que sempre tentava compor alguma coisa durante o período da faculdade.

E como havia dito, após ter assistido inúmeras vezes o filme Amadeus, eu queria cada vez mais me debruçar, e aprender, a como compor música clássica/erudita.

E assim, desde os meus 13 anos, vim compondo também músicas não populares (em seu conceito), só que não avançava da maneira que eu queria. Pois parecia mais um grande experimento, do que de fato uma música do jeito que eu queria.

Sabe por que?

Simples! Eu não tinha base musical. Não tinha teoria.

Tinha apenas uma boa intuição musical que eu adquiri por anos, desde quando criança.

E, por mais que eu procurasse, mesmo na internet já incipiente na década de 90, não encontrava muita coisa.

E quando cheguei a comprar livros de Teorias Musicais, houve uma decepção ali... pois não entrava aquelas "regras" e "proibições" que constavam em alguns livros.

Coisas básicas não eram explicadas. Tipo: o que são realmente acordes? Ou ainda, por que eles são formados deste jeito? E como eu descubro um acorde em um trecho musical?

Eram coisas básicas que eu sentia que faltavam nos livros de harmonia, nos livros de teoria musical disponíveis, e nem se quer uma gota na internet sobre isso....

Foi então que, depois de anos, como autodidata, batendo a cabeça (o que tem o seu lado positivo), decidi procurar ajuda!

Eu tinha uma amiga que tocava em uma orquestra aqui no Rio, e disse a ela o que eu queria fazer e o que eu pretendia. Afirmei também que não queria fazer faculdade, pois já estava trabalhando e achava que a faculdade de música iria mais "complicar" do que ajudar. Antes que alguém fale aqui, não estou desmerecendo a faculdade de música! Só não via que seria a minha trajetória a ser escolhida naquela época. Só isso!

Então, ela me disse para procurar um professor particular, e indicou um que ela conhecia.

Não poderia ter sido MELHOR!!!! rsrs

Poderia dizer que foi um achado e uma tremenda sorte!

E o melhor de tudo que ele, o professor particular, também era formado em engenharia, ou seja, tínhamos algumas coisas em comum, pois também sempre quis entender os por quês, e não se contentava com regrinhas soltas ou sem motivos apresentado em muitas aulinhas e teorias básicas.

Uma característica dos engenheiros é essa: querer saber os detalhes!

Foram anos de aulas particulares. E desde o início, eu não fazia apenas 1 hora por aula. Eu pagava por 2 horas seguidas por aula. E, muitas vezes, acabava se estendendo um pouco mais.

Tamanha minha dedicação, minha vontade em aprender, e minha paixão, que logo nos primeiros meses o meu professor me chamou para participar de um grupo de compositores seletos, em um grupo fechado.

Não preciso nem dizer minha alegria sobre isso, né? rs

Quando fazemos parte de um grupo com um mesmo propósito, com a mesma dedicação, é muito bom! É excelente! Não só para você mostrar o seu trabalho, mas sim para desenvolver e trocar ideias com outros!

E assim, tendo minhas aulas particulares, e participando do grupo, pude começar minhas composições de como eu realmente queria.
Minha composição sinfônica
Primeira página da minha Quinta Sinfonia, composta em 2008!

Aprendi muito mesmo. E aquelas dúvidas iniciais foram rapidamente dissipadas e aprendidas.

Aliás, não só aprendi, como também criei novas visões sobre alguma coisa da música. Uma dela você pode ler aqui nesse artigo, sobre o Super-Trítono.

Outras ideias também criei, como criações de cânones super complexos, métodos de construções de fugas, ou até mesmo uma ideia de análise harmônica (que, contando um dia para o meu professor, este disse que tinha muita semelhança com outra abordagem Harmônica). Além de ter criado um estilo de composição que não conheci ainda em outro compositor, assunto este para um outro post.

E assim cheguei, a mais de 300 músicas compostas. E outras para serem completadas.

Mas... e daí... o que você pode esperar daqui?

Exatamente, o que eu passei e o que eu deveria ter passado desde o início e deixei passar...

Desde minha vontade em querer compor minha primeira música, se eu tivesse algum lugar para recorrer de fontes confiáveis, e ter um curso à minha disposição, teria sido fantástico. Eu já teria criado um avanço musical muito mais cedo, mesmo meus pais não entendendo nada de música, como foi, e é, o meu caso.

Quanto tempo eu teria ganho!!!!

Quantas obras eu já teria composto!!!!

Por exemplo, aqui, comigo, você vai poder aprender muito  sobre música, composição, harmonia, formas, seja para o estilo que você queira compor.

E vai entender que não pode desperdiçar oportunidades. Lembra daquela vez que uma pessoa com uma banda queria ter gravado algumas músicas minhas??? Pois é... não deixe isso passar. Imagine quanta coisa eu poderia ter conquistado já desde minha infância!

Aqui eu trago artigos diversos, tudo focado na teoria e prática, e cursos online.

Dou uma visão sincera da música, e quero que você entenda o que realmente é a composição e uma análise musical. A sua importância!

Estou também montando um grupo online, uma comunidade, onde poderão trocar ideias, tirar dúvidas, e mostrar o trabalho uns para os outros.

Participar de um grupo de estudo é fundamental. Mas desde que o grupo de estudo esteja comprometido. A possibilidade de ser corrigido e de dar palpites em outras músicas é também uma forma de aprender. Aliás, uma forma de REALMENTE APRENDER composição, arranjo, ou qualquer outra coisa.

Pois teoria sem prática não serve para nada, além de ocupar a cabeça...

Agora, isso vai exigir que você realmente queira aprender, queira avançar para o próximo nível. Queira dar um passo para o seu sucesso pessoal, expandindo seu conhecimento para novas possibiliades!

E não tenha medo de críticas. Aliás, você tem medo de receber críticas? Por que não lê esse artigo onde falo sobre isso?

Saiba também que não faço parte de nenhuma panelinha de músicos que fica só achando que a música do grupinho dele é boa, sem dar espaço para outros. Pois quando eu preciso criticar, eu critico, mas não uma crítica vazia, mas sim uma crítica para você poder melhorar em seu conhecimento e produção musical.

Acredito que com isso podemos melhorar e muito a qualidade musical Brasileira.

Precisamos de mais conhecimento, tal qual eu fiz comigo mesmo quando resolvi procurar um professor particular.

Tudo começa quando queremos mudar de nível!

Tudo começa quando queremos dar o primeiro passo!

Tudo começa quando queremos e procuramos aprender mais, colocando em prática o que aprendemos.

É por isso que aqui no site Técnias de Composição eu posto eventualmente artigos que serão de seu interesse, não só com intuito de estimular você a aprender, mas de você aprender e a colocar em prática o que aprendeu.

E eu estarei próximo para também te auxiliar em sua caminhada.


Eu vou fazer minha parte aqui. E você? Vai fazer a sua?


Que tal começar assistindo minhas aulas particulares?

Elas são gratuitas no meu canal do YouTube. São aulas ao vivo, uma vez por semana.

Se inscreva para garantir sua vaga. Pois as aulas não ficam disponíveis para sempre.
editar post

CONHECIMENTO VIP

Já pensou em receber conteúdo exclusivo?
Então assine abaixo. É grátis!




Não realizamos spans.



Nenhum comentário :

Postar um comentário