8 Dicas para Você Compor sua Música Eletrônica! Primeiros Passos Fundamentais!

8 Dicas para você começar seus primeiros passos para compor Música Eletrônica!



Toda composição musical segue um estilo.

Não sei como você o faz, mas eu penso primeiro no estilo que quero seguir antes de iniciar uma composição.

Mas, pode ser que aconteça que após a criação de uma melodia, por exemplo, para um determinado estilo musical, você perceba que tal melodia se encaixaria em outro estilo perfeitamente.

Daí, ou você migra sua composição para o outro estilo, ou você rearranja, ou mixa, sua composição em outro estilo.

E isso é muito recorrente no estilo que conhecemos como Música Eletrônica, o qual falaremos aqui.


Nesse post vamos abordar os seguintes temas:
  • Conhecendo a Música Eletrônica;
  • O que podemos imaginar para compormos uma Música Eletrônica;
  • Onde aprender (cursos online) o básico e avançado para os recursos de Música Eletrônica (Produção Musical)?

 

 

Um Pouco sobre Música Eletrônica



Curto muito música eletrônica, claro que nem todas as músicas. Aliás, curto a música quando ela é boa e de qualidade:
Eu não me fixo ao estilo musical. Eu me fixo na música de qualidade, seja ela em qual estilo for!

Ano passado (2015), eu fiz uma playlist de algumas músicas eletrônicas que curto muito, e a maioria destas foram lançadas, ou compostas, em 2001 ou em torno deste ano. Coincidência?!

Não sei ao certo o que essa coincidência significa...

Só para citar algumas selecionadas por mim: I´ll Fly With You (Gigi D`Agostino), Something (Lasgo), Turn the Tide (Sylver), One More Time (Daft Punk), KernKraft 400, On The Move (Barthezz), All Around the World (la la la la) (UTC), Darude (SandStorm), e tantos outros...


Eu não sou especialista em Música Eletrônica, apesar de querer um dia poder caminhar um pouco sobre ela, mas se reparar na lista acima, que não é exaustiva nas minhas predileções, formam dentro do estilo Música Eletrônica outros subestilos.

Seria quase o mesmo que dizer que todas as músicas são do estilo rock, mas algumas são classificadas como heavy metal, trash metal, pop-rock, blues, e outros subestilos.

Mas certamente esta lista acima tem elementos comuns que me chamaram atenção e me fizeram reconhecê-las como grandes músicas para o estilo de Música Eletrônica. E assim, servem de base e trampolim para novas investidas!!!!


Além disso, existem outras músicas fantásticas que serviram de apoio e base para estas acima.

Eu poderia citar algumas músicas que não são consideradas (até um certo ponto) músicas eletrônicas, mas fizeram uso dela. Como algumas músicas dos Beatles (Tomorrow Never Knows, por exemplo), algumas do Pink Floyd, do Led Zeppelin e de tantos outros conjuntos e compositores.

Até aqueles que se tornaram consagradas e empurraram o gênero/estilo pra frente: New Order (principalmente com Bizarre Love Triangle), Depeche Mode, Information Society, Pet Shop Boys.

Citei apenas alguns famosos, mas certamente a lista é muito mais extensa!!!

Assim sendo, temos que, antes, dizermos o que seria então o estilo Música Eletrônica?


O que seria afinal o estilo musical chamado Música Eletrônica, e seus diversos subestilos: techno, trance, eletropop, house, synthpop, dancemusic, ...????


Como o próprio nome diz, Música Eletrônica seria uma música que faz uso de equipamentos eletrônicos para gerar os sons. Ou seja, sons não naturais, mas modificados ou produzidos por instrumentos eletrônicos.

Então, baseado nesse princípio, muito provavelmente a música eletrônica já tenha surgido no final do século 19 (século XIX) quando se começaram os primeiros grandes equipamentos de eletrônica capazes de gerar algum tipo de som ou ruído.

Mas foi somente no século 20 (século XX) que tais aparelhos realmente evoluíram para serem considerados aparelhos eletrônicos geradores de sons: sintetizadores, instrumentos eletrônicos (fazendo também uso dos sintetizadores), e computadores.

Se buscarmos a definição no Wikipedia sobre Música Eletrônica, repararemos o seguinte trecho:
É importante salientar que, por definição, música eletrônica é toda música criada através do uso de equipamentos e instrumentos eletrônicos. Entretanto, a partir da grande popularização da música eletrônica dançante a partir da década de 1980, esta passou a ser conhecida pelo público geral pela denominação simples de música eletrônica, o que prevalece até hoje.

E que também ocorreu toda uma evolução tecnológica muito mais rapidamente do que a estética da música eletrônica.

Tudo isso fez com que ocorressem sempre nuances diferentes da música eletrônica, e assim diversos estilos diferentes, mas que o público em geral o chamassem de Música Eletrônica.

Mas o que mais fixa uma música para este gênero, é a maneira em que é apresentada ao público em geral: através de DJs!!! (para quem não sabe, DJ é a abreviação de Disc Jóquei. Aquele em que aparece nas pistas de dança lançando músicas dançantes e criando ao vivo mixes e trocas de músicas em um aparelho eletrônico).

Ainda há a diferenciação da música eletrônica para a Música Popular e para a Música Erudita.

Dentro da Música Erudita (aquela considerada como erudição do músico e da construção de uma música secular), temos o surgimento de duas correntes: Música Concreta e Elektronische Musik. Ambas posteriormente denominadas como Músicas Eletroacústicas. Exemplos de compositores para esses últimos: Pierre Boulez, Messiaen, Karlheinz Stockhausen.


Somente após as experimentações desses últimos é que a música eletrônica começou a ser percebida também no mundo da música popular, sendo usada parcialmente ou criada do zero.

Certamente, um dos grandes fatores para a expansão e assimilação da Música Eletrônica no mundo popular foi aliar características dançantes nas músicas eletrônicas, fazendo cair no gosto popular e uma grande expansão deste gênero musical.

Outro fator determinante foi a presença e a evolução das músicas nos jogos eletrônicos!!!


Como Compomos para a Música Eletrônica?


O que falarei aqui não é exaustivo, apenas uma pincelada deste vasto mundo da Música Eletrônica.

Ainda há também, de acordo com alguns gêneros, especificidades formais, ou elementos característicos que devem fazer parte da construção de sua música.

Por isso, vou citar apenas ao que você deve estar atento ao compor sua música eletrônica.


DICA 1: Instrumentos Eletrônicos

Seus instrumentos devem ser, total ou parcialmente, eletrônicos.

Isto é, nada de fazer usos de instrumentos acústicos a não ser que sua intenção seja gerar diversidade, contraste, ou buscar um timbre diferencial, mas mesmo assim deve ser algo pontual e muito bem controlado por você compositor!

Use Softwares de Composição Musical, tanto para anotar suas composições (notação musical e DAW), como para dispor de timbres (sintetizadores, mixers, samplers).


DICA 2: Estrutura da Música

A forma (estrutura) de sua música pode ser livre, quase uma fantasia, mas em quase todos os casos a forma é a mesma que da forma de uma canção, aquela mesma do Rock ou Pop (em que há a parte principal/verso, o refrão, a ponte, ...).

Se quiser ousar mais nas formas, procure primeiro estar ciente do que quer realmente fazer, e que já tenha treinado bastante ou o suficiente nas formas mais simples.

Assim, você terá menos risco de errar a mão ao compor sua música.


DICA 3: Loops!

Faça uso de loops!

Sim, essa é uma característica forte das músicas eletrônicas.

O loop, ou a repetição, é utilizada quase que invariavelmente em toda a música, mudando apenas nas variações harmônicas ou nas partes contrastantes.

Geralmente há uma repetição que persiste em quase toda a música, e que deixa de ser repetida apenas em alguns momentos como a virada ou nas seções de contrastes.


DICA 4:Gancho (hook)

Existe uma terminologia usada nesse mundo que é o Gancho (hook em inglês).

Ela é uma espécie de melodia ou de riff (a mesma ideia das músicas de rock) em que deve ser forte, no sentido de prender sua atenção e você a querer ouvi-la mais de uma vez.

Ela pode ser a melodia principal que será usada em quase toda a música, ou servirá de base para uma outra melodia ser tocada sobre ela.


DICA 5: Timbres Eletrônicos e Efeitos Sonoros

Timbres e efeitos sonoros são sempre bem vindos!

Sim... isso mesmo.... faça uso daqueles timbres "robotizados", sampleados, computadorizados, etc..

Mas, principalmente, procure achar timbres diferentes em suas músicas e tire partido deles para trazer uma personalidade única em sua música.

Há softwares muito interessantes para você brincar com os timbres e efeitos sonoros. Misturar os timbres sampleados, ou até mesmo modificá-los em um trecho apenas.


DICA 6: Marcação do Tempo (Bate-Estaca)

Dependendo do subestilo que você estiver compondo, pode ser que seja necessário introduzir uma marcação forte do tempo através de algum instrumento grave; é aquilo que chamamos de bate-estaca!

A marcação do tempo é importante nesse estilo de música, principalmente se você estiver fazendo alguma daquelas canções dançantes ou que será usada nas boates pelos DJs da vida.

Só cuidado com a utilização do bate-estaca, pois pode trazer sua música para outro gênero musical, e talvez não seja sua intenção.


DICA 7: Harmonia e Polarização

Geralmente a harmonia é mais "comportada", tal como nas canções dos rocks.

Ainda não vi uso de acordes diminutos ou aumentados nas músicas eletrônicas, quando as músicas foram feitas para o entretenimento nas boates (aquelas dançantes).

Mas, provavelmente, o uso de harmonias mais elaboradas seria necessário nas fantasias ou nas músicas eletrônicas mais "eruditas". Talvez até passagens harmônicas mais inusitadas (modulações distantes).

Embora uma coisa já percebi: apesar das músicas não serem compostas em uma tonalidade menor, há uma espécie de polarização nos acordes menores, principalmente no VI grau.

Talvez por isso que temos, em algumas músicas, a percepção de uma música melancólica, triste, ou até mesmo por uma busca de "alucinação introspectiva" (gostei desse termo! rs)!!!


DICA 8: Economicidade!

Repito: economicidade!

Como todas as músicas, a economicidade faz parte da sabedoria do compositor!

Não abusar da quantidade de instrumentos/timbres, da quantidade de notas, da quantidade de temas, da quantidade de mudanças de harmonia (se assim o gênero não pedir por isso), de variações melódicas/motívicas,...

Enfim.... Economize nas suas ideias.

Nem sempre mais é melhor! Não seja prolixo!


No mundo da computação, há um princípio que também serve para aqui. Este princípio é KISS: Keep It Simple, Stupid!!!!   Traduzindo: "deixe isso simples, estúpido".  rsrsrs


DICA 9 - BÔNUS!!!!

Ahá! Incluí mais uma dica extra exclusiva para você.

Como toda a música, ou linguagem que você estiver usando em sua composição, o principal é criar inteligibilidade para o ouvinte.

E isso é conseguido através do uso de repetições, de contrastes, de uma estrutura sólida.

Ou seja, você precisa ter senso de forma e dominar o mínimo da harmonia (para que esta não te domine!).


Recursos de Produção Musical: Softwares e Hardwares (equipamentos)

Além de todas as minhas dicas acima, você precisará utilizar recursos para a produção de sua música eletrônica:
  • Software de Notação Musical: algum software de escrita musical, que pode ser com partituras, tablaturas, ou outro meio. Exemplos para partitura e tablatura: Finale, Encore, Sibelius, GuitarPro, e MuseScore (este é gratuito!);
  • Softwares de Edição - DAW (Digital Audio Workstation): são softwares que simulam os aparelhos analógicos do estúdio, e ainda incorporam muito mais recursos como cortes, modificação de sons MIDIs, mixers, sintetizadores, e tantos outros recursos. Exemplos: Sonar, Cubase, Ableton, FL Studio, Pro Tools e tantos mais;
  • Softwares de Sintetizadores, Efeitos e Amostras: são os chamados VSTi, plugins de VST, e Samplers. São, basicamente, os geradores dos sons. Geralmente, você associa tais geradores em algum software dos grupos acima. Nele contém um banco de sons, onde você simula um determinado instrumento (Instrumento Virtual), ou algum som "novo" não produzido por nenhum instrumento real;
  • Computador com boa especificação de hardware: você precisará de um bom computador para poder instalar todos os softwares acima e fazer um bom uso deles. Ter uma boa memória (RAM), bastante espaço no HD (principalmente com boa taxa de leitura e escrita, para evitar travamentos), um bom processador, uma boa placa de som. Geralmente, um computador voltado para se jogar os vídeo games mais atuais já te dá uma base e noção da especificação de um bom computador;
  • Fone de Ouvidos e AltoFalantes: se você quer ser um excelente produtor, você precisará de fones e alto falantes profissionais.
  • Teclado e Controlador MIDI: geralmente, o compositor de música eletrônica se utiliza de um teclado ligado ao computador para gerar dados MIDIs.

Apesar de todos os requisitos acima, você pode começar devagar, e ir adquirindo aos poucos melhores equipamentos, e mais softwares profissionais.

Comece do básico e vá crescendo aos poucos.

Onde Podemos Aprender a Utilizar os Recursos de Música Eletrônica?


Enfim...

Eu já recebi emails de algumas pessoas querendo saber se com o meu Curso de Composição estará apto para compor música eletrônica. Minha resposta é: SIM e Não!!!

Como assim?

Eu explico.

Meu curso ensina todos os fundamentos para você compor qualquer tipo de música, inclusive a Música Eletrônica.

Mas... você precisará aprender a utilizar os recursos eletrônicos e conhecer seus aspectos a fundo.

Há uma diversidade enorme no mercado de Softwares para você utilizar e poder interligá-los, de modo que você consiga extrair o melhor de você em suas composições.

E para isso há uma necessidade de fazermos um curso voltado para este estilo.

Eu e o Rafael Castro, fundador da Escola de Música Eletrônica, estamos fazendo uma parceria para que você possa aprender e aprimorar suas técnicas de composição voltadas para a Música Eletrônica.

Se tiver interesse, conheça sua escola e seu curso (link afiliado):



ATENÇÃO!!! Essa semana, nesta sexta, dia 17/06/2016, a EMEB está realizando uma MEGA PROMOÇÃO!!!! Quem adquirir o curso AdvancedProducer terá de quebra todos os outros 6 cursos gratuitamente!!! Acesse a lista acima para receber o link do Advanced Producer por email.

Seu site já tem mais de 40.000 seguidores no Facebook e já ministrou suas aulas para pelo menos 450 alunos em todo o Brasil, desde 2014 até a data desta publicação.

São totalmente online, através de vídeos aulas.

Dê uma conferida. Basta clicar no link acima.




Conclusão


Como o próprio título desse post sugere, temos aqui os primeiros passos para você que quer se aventurar nesse mundo da música eletrônica!

Independente do estilo musical que você quer seguir e compor, você precisará dos fundamentos necessários, só para citar alguns: harmonia, condução de vozes, senso de forma.

Isso tudo você pode conseguir aqui.

Mas você precisa se especializar em seu nicho, em seu mercado. Por isso, sugeri a escola supracitada. Espero que goste.



Ciente de tudo isso que foi dito aqui, você agora precisa pôr a mão na massa e começar a compor sua música eletrônica.

Faça experimentações.

E, como digo sempre, analise as músicas de seu interesse para aprender com quem já fez!

Quero muito que você participe. Peço que deixe seus comentários, suas dúvidas, suas críticas aqui, já que eu também estou aprendendo sobre a Música Eletrônica. Ok?!

abraços,

Carlos Correia


editar post

CONHECIMENTO VIP

Já pensou em receber conteúdo exclusivo?
Então assine abaixo. É grátis!




Não realizamos spans.



Nenhum comentário :

Postar um comentário