Análise Musical da Sonata em Lá menor (Am) de Mozart KV310 - Parte II


Análise Musical da Sonata No.8 em Lá menor de Wolfgang Amadeus Mozart - KV 310





Parte II


editar post

CONHECIMENTO VIP

Já pensou em receber conteúdo exclusivo?
Então assine abaixo. É grátis!




Não realizamos spans.




Análise Musical da Sonata em Lá menor (Am) KV310 de Mozart - Parte I



Análise Musical da Sonata No.8 em Lá menor
de Wolfgang Amadeus Mozart - KV 310

obs.:as imagens da partitura foram extraídas do NMA e lá consta esta sonata como No.9 (K.311) e não como No.8 (K.310). Obrigado para aquele que me chamou a atenção.


 
editar post

CONHECIMENTO VIP

Já pensou em receber conteúdo exclusivo?
Então assine abaixo. É grátis!




Não realizamos spans.




Glossário - Termos Comuns

Termos que serão utilizados no blog, principalmente nas análises.


Sigo a linha apresentada nos livros de Schomberg (Fundamentos da Composição; Harmonia; Função Estruturada), e de Carlos Almada (artigos e anotações de aulas).




1) Estruturas

Letras entre colchetes: representam temas, ou seções;
[A] : Tema A, ou tema principal, ou primeiro tema apresentado;
[A1], [A2], ... : temas individuais e complementares que formam o Tema A;
[B] : Tema B, ou tema secundário, ou o segundo tema apresentado;
[B1], [B2], ... : temas individuais e complementares que formam o Tema B;
[C], [D], ... : respectivamente, temas C, D, etc..;
[Tr] : transição (geralmente do Tema A p/ o B) ou retransição (geralmente de algum tema para volta ao tema A);
[Des] : desenvolvimento;
[Exp] : exposição;
[Reexp] : reexposição;
[S1],[S2], [S3], ... : seção 1, seção 2, seção 3, etc...;
[S1.1], [S1.2], [S1.3], ... : subdivisões da seção 1;
[fr] : frase;
' - aspas simples, ou apóstrofe, indica variação;
[mod] : trecho que serve como modelo para algo que há de vir;
[rep] : repetição de um modelo apresentado;
[seq] : sequência de um modelo. O modelo é refeito em outro grau da escala, ou em outra nota diferente do modelo, por grau conjunto ou não;
[rep'] : repetição variada;
[seq'] : sequência variada;
[a]-[b]-[a'] - indica as partes da estrutura ternária, onde [a] é o tema inicial, [b] seu contraste, e [a'] a volta ao tema inicial variado.


2) Aspectos Harmônicos

Algarismos Romanos (I,II,III,IV,V,VI,VII) : indicam o grau (função) harmônico para uma tonalidade ou região de referência.

M - Maior
m - menor
o - diminuto
+ - aumentado

b - bemol
# - sustenido
bb - duplo bemol
## - duplo sustenido

A, B, C, D, E, F, G - i) notas Lá, Si, Dó, Ré, Mi, Fá, Sol; ii) tonalidades maiores - Lá Maior, Si Maior, etc..; iii) acordes Maiores - Lá Maior (lá - dó sustenido - mi), Si Maior (si - ré sustenido - fá sustenido), etc. ...;
Am, Bm, Cm, ... - acordes ou tonalidades menores. Am = acorde/tonalidade Lá menor, Bm = acorde/tonalidade Si menor;
Ao, Bo, ... - Lá diminuto (lá - dó - mi bemol - sol bemol), Si diminuto (si - ré - fá - lá bemol), etc...
A+, B+, ... - tríada aumentada - acorde de Lá aumentado (lá - dó sustenido - mi sustenido), acorde de Sí aumentado (si - ré sustenido - fá duplo sustenido);


X7 - acorde com sétima (considera-se que toda dominante, V grau, já esteja embutido a sétima do acorde)
X6 - primeira inversão do acorde
X65 - primeira inversão do acorde com sétima
X64 - segunda inversão do acorde
X43 - segunda inversão do acorde com sétima
X2 - terceira inversão do acorde (quando a sétima se encontra no baixo)
X9 - acorde com nona

Relações entre os graus:
x/y - indica uma função, ou grau, x relativa a y.
Exemplos com referência a dó:
V/IV - Dominante do IV grau = Dó Maior;
II/V - Segunda da Dominante = lá menor;
Vo/V - Dominante diminuto da Dominante = Fa# diminuto (fá# - lá - dó - mib)
V/II - Dominante do segundo grau = Lá Maior (com sétima implícita)


Nomenclatura das Regiões:

(veja mais abaixo. Por algum motivo, a tabela criou um espaço daqui até o início dela. Por favor, role para baixo para ver a continuação das informações)
Região Significado Referência com dó (Ex.)
T Tônica Maior Dó Maior
D Dominante Maior Sol Maior
SD SubDominante Maior Fá Maior
dor dórico (menor) ré menor
m mediante menor mi menor
sm submediante menor lá menor
t tônica menor dó menor
v dominante menor sol menor
sd subdominante menor fá menor
S/T Super Tônica (Maior) Ré Maior
M Mediante Maior Mi Maior
SM SubMediante Maior Lá Maior
Np Napolitano (Maior) Ré bemol Maior
bM bemol Mediante Maior Mi bemol Maior
bSM bemol SubMediante Maior Lá bemol Maior
bMD bemol Mediante da Dominante Maior Si bemol Maior
bm bemol mediante menor mi bemol menor
bsm bemol submediante menor lá bemol menor
bmv bemol mediante da dominante menor si bemol menor




Exemplos de Relações de Regiões (referência em Dó Maior (C) ):
SM.M - SubMediante Maior da Mediante Maior = C# (Dó sustenido Maior);
v.SD - dominante menor da SubDominante Maior = Cm (dó menor);
D.v.SD - Dominante Maior da dominante menor da SubDominante Maior = G (Sol Maior);
Nap.v - Napolitano da Dominante menor = Ab (Lá bemol).

Acordes Errantes (ou de empréstimos, ou alterados) são acordes que não pertencem a escala da tônica, ou da região em que se encontra. Podem ser formados por acordes emprestados de outras regiões, ou por alterações nas notas dos acordes, ou como consequencia do movimento das vozes.

Notação dos Acordes Errantes: com risco nos graus
I, II, III, etc. : o corte nos acordes indicam alteração em uma ou mais notas dos acordes naturais da escala em que se encontram.

Alguns Exemplos (com referência a Dó Maior)
II+: segundo aumentada, sexta aumentada, ou acorde germânico - F#-Ab-C-Eb
II : segundo alterado, ou riscado - geralmente se refere a D-F#-Ab-C
IIo: segundo meio-diminuto - D-F-Ab-C
IVm : F-Ab-C
Vm ou v : G-Bb-C
(para maiores informações e definições sobre acordes errantes, ver Harmonia - Schoenberg)

Outras notações:
Tr : Trítono - intervalo de 5o (quinta-diminuta) - exs.: si-fá, dó#-sol;
STr ou STri : Super-Trítono - intervalo de 3o (terça-diminuta) (ver postagem sobre super-trítono) - exs.: fá#-láb, dó#-mib, si-réb;
T : tono;
ST : semitono;
Col : coleção;


3) Gerais

c. - indica o número do compasso;
c.x a y - indica que o trecho se inicia no compasso x e termina no compasso y. Importante: em muitos casos, uma frase, ou tema, inicia-se com uma anacruse, porém, para nossos fins e na maioria dos casos, o compasso que se encontra a anacruse não será indicada como seu início.
m.x - indica o motivo como referência;

Livros Sugeridos:
SCHOENBERG, Arnold. Structural functions of harmony. (Leonard Stein, ed.) Nova York: W.W.Norton & Company, 1969.
SCHOENBERG, Arnold. Harmonia. (Marden Maluf, trad.) São Paulo: Editora Unesp, 2001.
SCHOENBERG, Arnold. Fundamentos da composição musical (trad. SEINCMAN,Eduardo) Edusp
editar post

CONHECIMENTO VIP

Já pensou em receber conteúdo exclusivo?
Então assine abaixo. É grátis!




Não realizamos spans.